Dispensando o dispensável.


Eu estava aqui buscando escrever algo expressando o que estou sentindo e resolvi dar uma lida em alguns sites que tenho o hábito de ler e tem tudo a ver com ter fé ou ter convicção já que a Bíblia me diz que Fé é certeza. Achei muito interessante isto e é exatamente como tenho me sentido, e gostaria que estivessem meditando e pedindo a Deus para falar ao coração de cada um.

ps. Onde esta o Chaves quer dizer: cadê o pessoal empolgado com a obra de Deus, que dava tudo para realizar algum evento ou simplesmente servir e ter uma participação no culto ou nas atividades da igreja ou com a igreja? É isto ai,Boa leitura.

Carlos Rizzon

godbay

Todo mundo quer ser indispensável. Menos quando o assunto é trabalho… Já perceberam? Até quando a igreja vai sofrer com isso? Até quando a igreja vai continuar sendo “nós” e não “eu”? Enquanto a gente continuar pensando que somos substituíveis, que a nossa importância é medida pela quantidade de responsabilidades que temos dentro da igreja (ou de qualquer outra organização), nós nunca seremos capazes de viver o verdadeiro Ide.

Afinal, “eu não sei falar” ou “eu não sei ensinar” ou “tem tanta gente que faz muito mais e melhor do que eu”… Então pra que me preocupar? Tem tanta gente por aí que pode fazer o que eu faço.

Certo. Provavelmente tem.
Mas essa gente toda não é você. É?

Essa gente toda não assumiu a responsabilidade que você assumiu, assumiu? Por menor que seja o seu papel no corpo, você ainda tem um papel.

Deus, na sua infinita sabedoria nos criou de modo que se um órgão deixa de funcionar (muitas vezes) o corpo todo, ainda que doa, trabalha pra compensar essa falta. E a mesma coisa acontece nas igrejas.

O problema é que toda a energia que é gasta para compensar a falta de um membro ou órgão poderia ser utilizada muito mais eficientemente em tarefas muito mais úteis e de maior valor para o corpo e seu ambiente.

E a mesma coisa acontece com a igreja.

Um pastor sozinho tem que correr pra fazer “barba e cabelo” na igreja enquanto seus “membros” sentam-se confortavelmente nos bancos (quando decidem ir), como se não houvesse mais nada a ser feito – não pela igreja, mas COMO igreja.

Essa mentalidade mesquinha e egoísta pode ser encontrada em qualquer conversa fiada de dois minutos sobre a “igreja”.

Você já deve ter tido essa experiência… Começamos falando dos problemas (iguais em toooodas as igrejas, praticamente), depois falamos das pessoas… As vezes jogamos algumas idéias ao ar sobre como algumas coisas poderiam ser feitas de maneira diferente, eficiente ou melhor.

E por fim… pensamos (e às vezes falamos) “é isso aí…” e saímos ou mudamos de assunto, antes que sejamos levados a assumir alguma responsabilidade.

Em último caso, claro, podemos deixar de contar com as pessoas… Deixar de esperar qualquer tipo de comprometimento delas… E assim vivermos sempre prontos pra compensar a falta de um ou outro membro. Desperdiçando energia…

Só um pensamento…
Por que, afinal, Jesus escolheu 12 discípulos, sendo que apenas alguns deles são citados nos evangelhos?
Será que os que não são citados tinham um papel tão irrelevante assim? Será que eles eram substituíveis? Podiam ser apenas os 7 discípulos… não?

NÃO!

Como Paulo disse… Somos membros de um corpo e Jesus é a cabeça… Cada membro tem o seu papel, o seu espaço e a sua responsabilidade… E cada membro tem o seu valor.

Se você se acha substituível, talvez seja hora de você rever o seu papel no corpo… Por que Deus em sua infinita sabedoria, também o corpo com a capacidade de expulsar naturalmente tudo aquilo que não lhe pertence ou que não lhe seja útil.

Enquanto a mentalidade de “freqüentar a igreja” não for substituída por “ser a igreja” (e conseqüentemente fazer o que tem que ser feito), não vejo como resolver essa situação.

Sendo assim, se você só “freqüenta” uma igreja, arrependa-se da sua inutilidade e egoísmo levante-se do seu banquinho confortável e vá fazer alguma coisa! Se não tiver espaço na sua igreja (o que eu duvido), tem um tanto de ministérios que precisam de gente disposta e comprometida com o Reino de Deus. Comprometa-se. E seja fiel a esse compromisso, como um bom Cristão que você diz ser.

Antes que seja tarde demais.

Gui Menga

Extraido do site http://solomon1.com/

Advertisements

Leave a comment

Filed under Artigos

A Igreja é um Templo (Edifício)


As vezes penso em escrever sobre determinado assunto e começo a procurar na net algo relacionado e quando encontro algo bom e com boa base Bíblica eu desisto da idéia e uso o artigo encontrado. Este foi encontrado no Blog da Comunidade NC de Los Angeles,EUA.

(http://comunidadenc.blogspot.com/)

Nota ao dono do artigo: Caso não se sinta confortavel em usarmos o seu texto, por favor nos envie um email solicitando a retirada que o faremos  na primeira oportunidade.

Imagens do Novo Testamento para a igreja

Jesus foi o primeiro a introduzir a idéia da igreja como um edifício. Mas antes de continuar, deixe-me dizer que a igreja não é o prédio onde ela se reúne. Não era essa a idéia que Jesus tinha da igreja. Mateus 16.18 é a passagem com a qual vamos começar. Mas antes de fazê-lo, vamos ver um conceito interessante. Ao ler o Antigo Testamento vemos que todas as vezes que alguém tinha um encontro com Deus, eles erigiam um monumento. Abraão, Isaque, Jacó e vários outros personagens bíblicos fizeram assim, ou seja, eles marcaram o lugar onde Deus os encontrou. Esse pensamento culminou com a construção de um templo que era o lugar de habitação de Deus. Quando Jesus veio ao mundo Ele introduziu um novo conceito. De agora em diante Deus está construindo um novo templo. Deus decidiu transformar a sua igreja num templo, numa construção (espiritual) na qual Ele habita.

Voltemos a Jesus. Ele disse em Mateus 16.18 “Você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja…”. A palavra edificar era usada para a construção de casas. Por isso dissemos que a introdução da figura da igreja como uma construção veio do próprio Jesus.

Essa idéia está presente em todo o Novo Testamento. Em 1 Coríntios 3.16 Paulo pergunta: “Vocês não sabem que são o santuário de Deus e que o Espírito Santo habita em vocês?”. Aqui vemos o novo conceito introduzido por Jesus de que de agora em diante nós somos o lugar de habitação de Deus, não prédios e construções materiais.

Em 1 Timóteo 3.14-15 Paulo afirmou: “Escrevo-lhe estas coisas, embora espere ir vê-lo em breve; mas se eu demorar, saiba como as pessoas devem comportar-se na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna e fundamento da verdade”.

Em Efésios 2.20-21, o apóstolo Paulo diz: “Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, tendo Jesus Cristo como a pedra angular, no qual todo edifício é ajustado e cresce para tornar-se um santuário santo no Senhor. Nele vocês também estão sendo edificados juntos, para se tornarem morada de Deus por seu Espírito”.

Em 1 Pedro 2.5 o apóstolo Pedro afirma, “Vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de uma casa espiritual…”.

Existem implicações tremendas quando vemos a igreja como uma casa espiritual, templo santo, ou uma construção. Toda construção precisa de planta, precisa de planejamento. Isso quer dizer que se Deus usou a figura de uma construção para descrever a igreja, deve haver um tempo quando Ele planejou a mesma.

Outro dia desses estava lendo 1 Pedro 1.18-20 na paráfrase “The Message”. Aqui está minha tradução daquela passagem:

“A vida de vocês é uma jornada que vocês devem percorrer com uma profunda consciência de Deus. Custou a Deus muito caro tirar vocês deste beco-sem-saída, desta vida vazia na qual vocês cresceram. Como vocês sabem, Ele pagou com o sangue sagrado de Cristo. Ele morreu como um cordeiro sacrificial sem qualquer defeito. E isso não foi uma idéia de última hora, embora só agora – nos últimos tempos – tenha se tornado público”.

A igreja não foi idéia de última hora de Deus. Ele a planejou antes mesmo que o universo fosse criado.

Aqui estão algumas outras passagens que você pode ler sobre o planejamento de Deus: 1 Coríntios 2.7; Efésios 1.4; 2 Timóteo 1.9, 1 Pedro 1.20

Bom, se a igreja é um templo e Deus arquitetou (planejou) a edificação desse “edifício” antes da criação do universo, isso mostra o quão meticuloso Deus é com relação à igreja. Examine agora as implicações dessa figura:

1) Deus planejou tudo antes do início. Isso mostra que a igreja é o maior projeto de Deus e que não existe nenhuma outra maneira de você investir melhor a sua vida do que envolver-se com a igreja de Jesus Cristo.
2) O projeto de construção de Deus ainda não terminou (parece obra de igreja!). É o que Efésios 2.21 e 1 Pedro 2.5 afirmam. Somos uma obra inacabada e por isso, por enquanto, imperfeita. Tenhamos paciência uns com os outros.

Pra você meditar: Reflita nas passagens bíblicas que falam sobre edificação. Verifique o que Deus diz que edifica a igreja, como é o processo de edificação, etc. Aqui vão algumas sugestões: Efésios 4.16; 4.29; 1 Tessalonicenses 5.11; Judas 1.20

Posted by Blog da Comunidade NC

Leave a comment

Filed under Artigos

3 Minutos – Os falsos profetas


Jesus avisa para tomarmos cuidado com os lobos vestidos de ovelha, os falsos profetas. Como saber quem são? Pelos frutos. Árvores boas dão bons frutos; árvores más dão frutos ruins.

Leave a comment

Filed under Vídeos

Eles até gostam de Jesus mas da igreja, nem tanto.


Estive lendo alguns artigos na net e me deparei com um artigo que dizia em inglês: “They like Jesus but not the church!”, ou, em português, “Eles até gostam de Jesus mas da igreja nem tanto!” , incrivel e penso que deveriamos nos preocupar com isto pois é muito sério.

Quando ainda morava em Miami Beach eu trabalhei com uma moça, muito bacana por sinal de nome Cristina e ela tinha vários funcionários entre homens e mulheres.

O trabalho era muito simples, assim que terminavam a obra as construtora nos contratava para dar os últimos retoques antes de entregar para o futuro dono, tirar um resto de massa que ficou no chão, limpar os vidros, tirar um restinho de tinta que ficou no granito do piso, trabalho facil e tranquilo… mas voltando ao tema deste artigo, um certo dia Cristina chegou perto de mim e me fez uma pergunta que originou de uma afirmativa de uma irmã parte da Assembléia de Deus que trabalhava conosco e nunca disse se deu nem ao luxo de ser simpática com a gente e a pergunta foi a seguinte: “Carlos a fulana que é crente me disse que se eu morrer hoje eu vou para o inferno ! é verdade ? ” … E eu tive que pensar para responder, pois não creio que a “irmã” agiu de forma sábia, mas ela usou o que ela conhecia, pois era parte de um seguimento denominacional onde na maioria das vezes aplicam o medo como forma de manipulação afim de constranger as pessoas a se tornarem santas entre outras coisas, bem diferente do que a Bíblia diz, “o Amor de cristo nos constrange! ” II Corintios 5:14.

Fazemos o que fazemos por amor a Jesus e não por medo do inferno ou do diabo.

A resposta que dei a ela aprendi lendo e meditando na Bíblia, que Jesus odeia o pecado mas ama o pecador e que Deus tinha enviado uma carta de amor para ela e tudo ia depender dela aceitar ou rejeitar o autor da carta e seu amor. Foi interessante a reação dela porque ela me disse que nunca havia escutado daquela forma.

Outro caso aconteceu já em Broward quando eu trabalhava vendendo reparos para telhado que tinham sido atigindo pelo furacão Wilma no final de 2005. Um determinado dia fui dar uma assistência a um cliente (Follow-up) e ver como andava as obras de reparo de um telhado em Coconut Creek e de repente um dos rapazes que estava trabalhando me disse: “Veja só Rizzon, (assim me chamavam por lá) o fulano me disse que eu tenho que ser é de Jesus”. Ai, eu curioso para ver onde ia dar aquilo, perguntei: “E o que você respondeu Toninho”? Ah Rizzon, eu perguntei a ele: “E você acha que eu sou de quem? Do diabo ?”.

É incrivel a capacidade que temos de excluir as pessoas e fico pensando como Deus vê isto tudo. As duas pessoas disseram verdades, tanto para Cristina como para o Toninho mas a abordagem foi totalmente errada, apresentaram primeiro a condenação e nem sequer falaram do amor de Deus para com aquelas pessoas.

Muitas igrejas tem se distanciado da cruz de Cristo e muitas vezes criam padrões de comportamento e formatos e querem que as pessoas se encaixem dentro deles. Lembro-me de um fato interessante que me contaram, que uma igreja da área convidou um rapaz para tocar para eles, vamos colocar deste jeito, como convite, porque existe muita resistência com a palavra “contratar”, principalmente em se tratando de músicos já que quando se trata de pastores não tem problema, e esta pessoa que foi “convidada” usa um cavanhaque não muito cheio, o normal para um rapaz de 20 e poucos anos, fato é que o irmão que o convidou disse a ele que ele era muito bem vindo mas para tocar na tal igreja ele teria que tirar o cavanhaque, incrível como em pleno século 21 ainda tem pessoas usando artifícios de manipulação tão baratos como este! O rapaz recusou o convite claro e nem ficou para ouvir o resto da conversa que poderia ter rendido a ele uma meia dúzia de “madições gospel” (rsrsrs), isto mesmo, existem pastores que amaldiçoam os que saem de sua igreja, ou os que não cedem aos seus caprichos doentios e o pior de tudo, em nome de Deus. O rapaz recusou a proposta de tocar para eles, ainda que o valor da “oferta” era boa.

Um outro fato curioso ocorreu comigo, minha esposa gosta de ir nessas reuniões de oração e consagrações e numa destas idas ela me disse que a irmã que dirigia o culto tinha aberto a oportunidade para quem quisesse pregar. Eu, como sou ainda um estudante de teológia, obviamente, estou sempre afim de compartilhar algumas coisas que o Senhor tem nos transmitido, o que faz com que algumas destas coisas acabem sofrendo uma metamorfose e virando artigo. A irmã me perguntou se eu estaria interessado, e eu disse a ela que não aceitava, que mesmo apesar de eu estar querendo muito exercitar o que estava aprendendo não iria, porque a reunião de oração era parte de uma denominação muito exclusivista, incrível pensar nisto como sendo algo evangélico mas é verdade, então disse a ela que os irmãos de dita denominação já tinham formatado na cabeça deles o estilo de mensagems e de pregador que eles estaria dispostos a ouvir e até a aceitar como vindo de Deus.

Não é segredo para ninguém a forma como acontece em cultos, pregações e vigílias por ai como falar em linguas, sapatear, rodopiar; uma lista interminavel de esquisitices, de “manias” atribuídas ao agir de Deus que faz com que este determinado grupo “formatem” ou tentem formatar o mover de Deus.

Esta questão de sentimento de exclusão e antipatia a que são tomados os não crentes com relação aos evangélicos não é privilégio só dos não crentes, muitas vezes a “igreja” não aceita a própria igreja! Exatamente, existem certos padrões de comportamento que excluem as próprias pessoas que estão ali.

Sem dúvida o falar em linguas é um dos dons mais requisitados, tanto para ser aceito por eles como para indicar uma “aprovação de Deus” para com a pessoa. Tenho um amigo que foi líder de jovens de uma igreja por um periodo de um ano e por ele ter vindo de uma igreja dita tradicional lá no Brasil ele era sempre abordado por alguns irmãos todas as vezes que tinha “um culto de fogo” na igreja dele, e os irmão insistiam com ele que ele deveria buscar o “batismo no Espirito Santo” e o falar em línguas, evidentemente, o rapaz muito cordato e respeitoso buscou, não o “famigerado” batismo no Espirito Santo, mas ele queria uma experiência mais profunda com Deus, apesar de não crer da mesma forma que eles criam. Passados uns meses ele recebeu a experiência que tanto buscava inclusive o falar em linguas e segundo me contou foi muito bom e se sentiu revigorado, mas o depois é que foi interessante, os irmãos vinham cumprimentá-lo por ter recebido o “dom” de Deus e uns ainda cometiam o descalabro de dizer: “Agora você vai ver o seu ministério deslanchar !”.

Meus irmãos se esta pergunta tivesse sido dirigida a minha pessoa o incauto irmão ouviria uma resposta que o colocaria para pensar, sem ofendê-lo é claro.

Diante destes fatos não me estranha o povo não crente não gostar da “igreja”. Já por muitos anos desde a institucionalização do Cristianismo como religião oficial do império por Constantino a “igreja” tem saido dos eixos e mesclado com coisas indevidas e muitas hoje não sabem sequer o seu papel no mundo.

Os reflexos da institucionalização do Cristianismo como religião oficial do império fez surgir problemas sérios no meio cristão, pessoas começaram a buscar a serem cristão por status, a qualidade da fé decaiu, a experiência salvífica deu lugar para a conveniência, faltava sinceridade nas conversões e este quadro se perpetua até os nossos dias de forma desastrosa. Quando residi nos Estados Unidos, aprendi muitas coisas boas inclusive a entender o reino de Deus e buscar ser parte da “Ekklesia”, ser a igreja, não simplesmente ir á igreja, porque em um determinado tempo entrei numa “crise cristã” por ver o rumo incerto de muitos ministérios aqui nos EUA, então eu disse à minha esposa:

–  “Vamos cuidar da nossa vida e quando der vamos à igreja!”. Esta foi a mais desastrosa e bendita frase que poderia ter dito, desastrosa porque nunca devemos dizer tal coisa, isto é alienação, uma das forças que são usadas pelo diabo para nos tirar do curso que Deus traçou para nós e bendita porque pude ouvir de Deus e entender que o reino de Deus esta em toda parte, e “buscar o reino em primeiro lugar” significa servir aos membros do corpo de Cristo que se reunem nesta ou naquela “igreja”, e desde então o meu foco mudou, o Reino está sempre em primeiro lugar na minha vida, mesmo que o local esteja fora do curso.

Se você se encaixa neste artigo e se desiludiu com a “igreja” saiba que não é o que fazem com você que determina sua vida, mas o que você faz com o que fizeram com você.
Busque a Deus, busque um direcionamento da parte de Deus para saber onde você deve congregar, busque o Reino de Deus e sua justiça e as demais coisas com certeza serão acrescentadas.(Mateus 6:33)

Carlos Rizzon

2 Comments

Filed under Artigos

Música secular e Música não cristã


Sempre ouvi pessoas perguntando sobre cristão ouvir ou tocar musica não cristã, mas não gostaria de simplesmente responder,mas tenho umas perguntas que gostaria de fazer afim de averiguarmos isto.
Ai estão:
1- O que autentica uma música para sabermos se é cristã ou não?

2- Porque só a música é metralhada e apontada como do diabo e não os filmes, novelas, malhação, futebol e etc.?

3- Se o que autentica a música como mundana é ela não falar de Deus explicitamente, existem várias canções “de crente” que não cita o nome de Deus.

4- Será que o que valida a canção ser evangelica ou não ? Seria  a unção ?  Aliás o que é unção ?

5- Se o que autentica uma música para ser caracterizada como cristã ou evangelica é a motivação de quem escreveu como encarar a grande maioria das músicas ditas sacras do cantor cristão e da harpa cristã, sendo que a maioria delas eram musicas usadas nos saloon (bares) americanos nos anos de 1800; E ninguém pode negar que Deus fala muito através destas músicas, e muita gente já foi confortada, encorajada e ouviu uma resposta de Deus através destas canções.

6- Se o ingrediente validador é a motivação resta saber qual motivação de alguns ditos cristãos fizeram suas músicas, músicas estas que lhes “garante pela licença poética” pregar heresias que deturpam e alteram (aumentando ou diminuindo) a palavra de Deus. (letras, mensagens “o melhor de Deus ainda esta por vir!)( Para adorar a Deus, tem que ter um coração consciente, coerente, condizente….)

6- Se a motivação é o que autêntica o que dizer destes cantores e músicos cristãos que não fazem o som que gostam argumentando que não o faz porque não vende? É uma motivação correta se cantar uma canção, ministrar na vida das pessoas com esta mentalidade ? Com o coração somente visando o lucro ? O que será que o “ministro” esta passando para o ouvinte ? Unção de Mamom ?

ps. Aliás se existisse um medidor de motivação a grande maioria dos pastores, ministros, líderes da dita igreja evangélica seriam reprovados, pois está todo mundo atrás é do dinheiro.

7- Se a motivação é o validador porque será que o cantor Norte Americano Michael W. Smith, recebeu a “unção da chuva” e todo mundo no continente sul americano começou a chover, (receberam também ou foi olho grande no dinheiro e na influência de um cantor de primeiro mundo?), aliás, o rio arrudas encheu para caramba no final do ano passado (final de 2008), mas também, com tanto crente pedindo chuva – ehehehe…. só podia dar nisto.

Aliás, a unção já não vem mais do céu, mas da Austrália, Estados Unidos, Irlanda e por ai vai…
Em minha opinião para encerrar este assunto, penso que o que define o poder tocar/ouvir, ser músico profissional “da noite”, sãos suas prioridades:

1)Saber quem é você, sua identidade;

2)Saber quem é Deus na sua vida, porque você sendo mau caráter qualquer profissão serve para desonrar a Deus.

Fique na paz,

“Quem nos separará do amor de Deus? Quem nos separará do amor de Cristo? Nem a morte, nem a vida, nem os anjos Nem os principados, nem as potestades…e “NEM A MÚSICA não cristã”
Carlos Rizzon
IGREJAURBANA.WORDPRESS.COM

ps. Não tenho interesse em incitar ou incentivar ninguém a ouvir ou tocar musicas não cristãs, um vez que voce serve em um ministério que condena esta prática, fique na obediência e não toque/ouça.
Dei uma alterada no texto adicionando um ítem e que não altera nada sobre os comentários que foram feitos.

10 Comments

Filed under Artigos, Vídeos

Vida Missional


Você já reparou quantos agentes secretos “de Deus” temos nas igrejas atualmente?
Você já parou para pensar o porquê disso? Com tanta ambigüidade nas pregações que tentam manipular as pessoas dizendo que a “igreja” é a casa de Deus, não poderia dar outra coisa. Lembro-me de um fato que aconteceu na casa de uma amiga na Florida, estava Eu, minha esposa, um pastor amigo nosso e uma amiga, todos “crentes”, era uma noite de sábado e estávamos planejando sair para comer alguma coisa quando de repente sai a nossa amiga com uma roupa muito decotada e sexy e pergunta ao nosso amigo pastor: E ai fulano o que acha desta roupa? Esta boa para sairmos? Ele respondeu com uma pergunta: Você iria à igreja com esta roupa? E ela claro, disse que não iria, pois segundo ela aquilo não era roupa de ir à igreja. Pergunta: Existe roupa de ir à “igreja” e roupa de sair à noite? Existe diferença entre ir à “igreja” e sair para se divertir ou são todas as coisas espirituais? Será que nossa atividade profissional é espiritual ou secular? Crente tem vida secular? Afinal o que significa secular? São perguntas que não fazemos na maioria das vezes e passamos a viver uma vida cristã ambígua. E as orações? Senhor entrando na tua presença! – Como assim entrando na presença de Deus? Estávamos na presença de quem então? Estão são coisas que temos que rever, pois muitas vezes estamos pensando que estamos certos e no final podemos ter uma surpresa nada agradável .Vida Missional é para aqueles que entendem que a salvação não é um fim em sí mesmo, mas um começo cumprindo aquela palavra que diz: “E receberei poder ao descer sobre vós o Espirito Santo e ser-me eis testemunhas”.  Aqui claramente se entende que ser testemunha não é opcional, mas algo que seria uma consequência.

Vida missional somos nós, em nossa limitação, mostrando em nossas vidas a plenitude do reino de Deus.” (João 4:23).
Quando entendemos este propósito de Deus que é sermos o bom perfume de Cristo, para os de dentro, exalando morte, para os de fora um cheiro suave de vida para a vida.
Fiquem na paz.

“Só somos felizes quando cumprimos o chamado de Deus para nossas vidas.”
Pr. Carlos Rizzon

Leave a comment

Filed under Destaque

Sua Comunidade


Você já parou para dar uma olhada no que esta acontecendo na sua comunidade ? Bem, Agora você terá a chance de se inteirar disto.

Em eventos como “adote uma árvore” e “dia da limpeza“, você saberá como você pode colaborar para tornar a nossa comunidade um melhor lugar para se viver e adorar a Deus cuidando do planeta.

Jesus disse que nós deveriamos ir primeiramente nas nossas cidades e então a partir dai expandir sua influência e poder catalisador.

Como poderiamos ser uma Igreja Urbana sem nos envolver em problemas da comunidade e nunca obedecer o comando de Jesus  com o IDE e alcançar primeiramente sua comunidade e sua cidade.

Procure se interar e se integar em algum projeto da Igreja Urbana, ainda estamos bem no inicio mas temos muito trabalho a fazer.

Volte sempre ao site para se atualizar sobre os acontecimentos, fique na paz.

Existem várias formas pelas quais você pode se envolver e fazer diferença em sua comunidade. Brevemente disponibilizaremos um lista de organizações parceiras que lhe darão várias idéia de como você pode contribuir.

Pelo Mundo afora.

Estamos fazendo contato com um ministério localizado em San Diego, California, para sermos parceiros e de alguma forma poder ser parte desta igreja urbana nos Estados Unidos.

Primeiramente estaremos focados na nossa comunidade, mas existe uma segunda parte no versiculo de Atos 1:8  diz que deveriamos ir também até os confins da terra.

Isto será possivel através de sua contribuição voluntária e algumas viagens missionárias que pretendemos fazer, e quem sabe um dia poderemos ir à San Diego e conhecer nossa Igreja Irmã. Para tanto fique de olho no calendário de eventos.

Leave a comment

Filed under Uncategorized