Category Archives: Uncategorized

Crente Boca Suja.


Copyrighted_Image_Reuse_Prohibited_775889
No domingo passado, ao falar sobre o desequilíbrio entre a verdade sem graça (legalismo) e a graça sem verdade (libertinagem), eu mencionei a tendência crescente entre muitos cristãos pós-modernos de soltar o verbo e liberar os palavrões como se fosse a coisa mais natural do mundo. Algumas pessoas me perguntaram se eu não estava caindo novamente no legalismo simplesmente por questionar isso. Vejamos.
Em primeiro lugar é preciso reconhecer que esta é uma questão mais complexa do muitos gostariam que fosse. Já conversei com várias pessoas sobre isso nos últimos anos e tenho a impressão de que muitos pensam que basta citar alguns versículos das Escrituras e assunto encerrado. Mas não é bem assim. O difícil é determinar quando uma palavra é torpe ou obscena uma vez que a linguagem é algo vivo e as palavras e seus significados mudam com o tempo. Algo que era considerado um palavrão nos dias de Jesus ou Paulo pode nem sequer ser utilizado hoje.
Sendo assim temos que lidar com questões sobre contexto, cultura, significado e eu entendo isso, não sou leigo no assunto e não estou tentando desprezar tais considerações.
Por outro lado, será que o valor de nossas palavras deveria ser determinado pelo meio em que vivemos? Se todos à nossa volta estão usando certas palavras, será que isso significa que nós devemos usá-las também?
Algumas pessoas dizem que o uso de palavrão se tornou natural em nossa cultura e que os únicos que ficam ofendidos são os “legalistas religiosos”. Realmente parece que cada vez mais pessoas estão usando palavrão como parte de seu vocabulário. Mas isso não torna o palavrão menos palavrão. De fato, as pessoas usam certas palavras justamente porque elas querem dizer algo para chocar, dar ênfase, ofender, etc. Ou seja, mesmo com o uso cada vez mais corriqueiro, certas palavras continuam sendo torpes e obscenas em nossa cultura.
O comediante americanoem seu show “Sete palavras que você nunca deve dizer na TV” demonstrou (mesmo que a contragosto) que há certas palavras que são inapropriadas. Bono que o diga. Por usar uma destas palavras na entrega do Globo de Ouro em 2003, ele criou problemas para a rede de TV norte-americana Fox.
Eu gosto da idéia de que se você não usaria uma determinada palavra numa conversa com sua mãe, numa reunião como igreja, numa entrevista de emprego ou para alguém que você acabou de conhecer, então essa palavra parece não ser apropriada para seu uso corriqueiro. Novamente, parece uma idéia simplista (e talvez seja), mas creio que é um começo.
Seria válido falar palavrão para se identificar com as pessoas que estamos tentando alcançar?
Eu me lembro de quando fazia visitas na antiga Casa de Detenção Carandirú em São Paulo. Os presos tinham um código de respeito para com os “crentes” que os visitavam. Não se falava palavrão perto deles. Percebi o mesmo com relação as prostitutas em alguns prostíbulos onde estive com os missionários do Projeto Toque. Quando alguma delas que não nos conhecia começava a baixar o nível das palavras, era logo censurada pelas companheiras. Fico imaginando o que essas pessoas pensariam ao ouvir um discípulo de Cristo falando as mesmas palavras que elas, apesar de usarem, reprovam. Será que elas veriam evidências de uma nova vida no falar deste discípulo?
Como eu disse em minha reflexão, precisamos rever nosso conceito de liberdade cristã. Para muitos, a nova versão de liberdade que eles estão aderindo é apenas uma revisão da velha escravidão que eles pensam ter deixado para trás.
Liberdade cristã não é liberdade para fazer o que quer que eu desejo. Liberdade cristã é liberdade para servir a Cristo e fazer o que Ele deseja. É liberdade para agradar a Deus. É liberdade no Espírito Santo. E o fruto do Espírito é amor, paz, bondade… domínio próprio.
Lutero colocou da seguinte forma em seu clássico texto Da Liberdade Cristã (1520): “Um cristão é senhor livre sobre todas as coisas e não está sujeito a ninguém – pela fé. Um cristão é servidor de todas as coisas e sujeito a todos – pelo amor.”
Quando leio passagens como Efésios 2.1-5 e 4.22, 1 Pedro 4.3, Tito 3.3, dentre outras, há uma indicação clara de que nossa vida antes de Cristo era marcada por certas coisas que já não devem mais persistir uma vez que estamos ligados à Cristo. Os verbos usados – éramos, andávamos, vivíamos – indicam uma condição passada. Mas agora, diz a Bíblia, somos novas criaturas e devemos despir (despojar) a velha condição. Me parece estranho que seguidores de Cristo queiram continuar na condição passada, exibindo os mesmos maus hábitos e caindo nos mesmos erros.
É neste contexto do novo homem que Paulo fala aos Efésios (4.29): “Não saia de vossa boca nenhuma palavra torpe.” (ARA)
O dicionário Houaiss define TORPE como:
que contraria ou fere os bons costumes, a decência, a moral; que revela caráter vil; ignóbil, indecoroso, infame
que contém ou revela obscenidade; indecente
que causa repulsa; asqueroso, nojento
que apresenta mácula; sujo
Ou seja, mesmo considerando as mudanças do vocabulário com o decorrer dos tempos, uma palavra torpe hoje continua sendo torpe.
Algumas pessoas argumentam que xingar é ser transparente e honesto. Todavia, o próprio bom senso nos diz que não devemos ser transparentes em tudo exatamente. Ainda que não exista nada em nossa vida que esteja oculto aos olhos de Deus – não há áreas privadas diante de Deus – há todavia, áreas e coisas que fazemos que não deveriam se tornar públicas. Por exemplo, o exercício de nossas necessidades físicas. Ninguém que tenha um bom senso ira advogar que, em nome da transparência, deve-se abaixar as calças em público e se aliviar na frente de todos. Isso seria indecoroso na maioria das culturas e sociedades do nosso mundo hoje. Ou seja, a tal de transparência neste caso me parece mais uma desculpa para obscenidade do que algo sincero.
Todd Hunter, presidente do Curso Alpha certa vez disse: “Como um discípulo de Jesus usa sua linguagem? O amor deve ser o árbitro de todo o falar.”
Quando você manda alguém ir se f**** ou chama uma pessoa de filho da p***, você está demonstrando amor? Você consegue ver a atitude de Cristo nisso? Imagino que não. Não importa o quão transparente você diga que está sendo, a única coisa que sua atitude transparente está demonstrando é a ira e falta de domínio próprio.
Então ouço pessoas apontando outros pecados, dizendo que alguém não xinga, mas odeia de qualquer maneira. Ora, um pecado não justifica o outro. Deus nos chamou para uma nova vida, com novas atitudes e novos hábitos.
Creio que xingar é um mal hábito e como todo mal hábito deve ser desencorajado, procurando livrar-se dele em busca de novos hábitos. Gosto do Bono como artista. Lendo uma de suas entrevistas certa vez, achei curioso que ele mesmo considera o falar palavrão como um mal hábito que ele possui. Mesmo gostando de sua arte, não significa que eu deva gostar ou adquirir seus maus hábitos.
Jesus elevou os padrões para os seus seguidores, em vez de diminuí-los como muitos aderentes da graça barata parecem pensar que Ele tenha feito. Tiago nos chama para um viver comprometido com os pobres e oprimidos ao mesmo tempo em que nos mantemos incontaminados com o mundo – inclusive no falar (1.26-27). Uma simples leitura a carta de Tiago revela que ele tinha muito a dizer sobre o Cristianismo prático e o uso da língua.
Por tudo isso e mais um pouco, creio que os seguidores de Cristo devem evitar ao máximo o uso de linguagem torpe/obscena, especialmente em público.
Que Deus nos ajude a viver não no legalismo nem na libertinagem, mas na verdadeira liberdade no Espírito.
********
Arte: Kelvin C

Advertisements

1 Comment

Filed under Uncategorized

O que é a Igreja??



Interessante que muitas pessoas em todos os níveis da sociedade tanto cristã ou não acredita que a igreja é o prédio, o local de reunião ou algo assim. Este video nos mostra que igreja não é o prédio, mas todos aqueles que receberam a Jesus como senhor e salvador.
Fique na paz.
Carlos Rizzon

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Pastores, a Igreja, as instituições (“Igrejas”) e os aborrecidos.


Deixe um Comentário

Você por acaso já se deparou com alguém que disse assim: ”Ah ! Eu estou cansado(a) do sistema de grande parte das igrejas e dos pastores corruptos e esta teologia da prosperidade” Pois é, se já ouviu este tipo de conversa quero assegura-lhe de que você não esta só, pois eu também já ouvi esta prosa ruim se não ouviu você deu muita sorte. Há uma semana e pouco atrás tivemos um culto abençoado aqui em BH, onde estão dando início a uma Deliverance Bible Church no Brasil e pude conhecer um pouco mais do cenário underground de BH e depois do culto com o Pastor Cleetus que trouxe uma mensagem muito boa sobre o estar disponível a Deus, ser vulnerável ao agir de Deus eu comecei a observar algumas pessoas e vi algo em comum com outros grupos que se dizem aborrecidos com o sistema, desnecessário dizer que nem todos estão aborrecidos ou reagem da mesma forma. Perguntei a Deus o porquê disto, da chateação destas pessoas já que eram cristãs, e não estou especificamente falando do pessoal que esteve nesta reunião mas foi uma somatória e a resposta que Ele me deu foi muito simples e triste; “Estas pessoas se chatearam com as igrejas e ou com os pastores, porque eles nunca serviram a mim, mas a estas igrejas e as estes pastores”, e por um momento, comecei a pensar sobre isto e como Deus sempre tem razão era verdade, muitos dos que estão, digamos afastados o fizeram por algo que algum pastor fez ou deixou de fazer, mas e o reino de Deus ? E o congregar que a palavra nos exorta a não deixar ? . Lembro-me de uma vez, quando nós, eu e minha esposa, ainda estávamos em Miami, e fazíamos parte de uma certa igreja, e de repente ouvi alguém dizer: “Irmão Carlos querendo ou não esta igreja é dele!” Aquilo caiu como uma bomba na minha cabeça e eu disse à minha esposa: “Você quer saber? A partir de hoje vamos viver a nossa vida, e quando der tempo “iremos à igreja”. Durante alguns meses fiquei mastigando aquela muxiba (rsrsrs), mas num dia quando estávamos orando, o Espírito Santo me disse que eu estava errado e eu meio que “What !?!”Eu errado?! É eu estava errado, não por ter constatado aquilo, mas por ter abandonado a congregação ou o congregar como queira. Me arrependi e naquele mesmo instante oramos e nos acertamos com Deus. Com isto, o Senhor começou a me mostrar que realmente tem muita gente que engana, manipula e tira proveito das pessoas, e que eu não deveria olhar para estes fatos, mas buscar o Seu Reino em primeiro lugar. O Reino de Deus engloba todas as igrejas, seja Tradicional, Pentecostal, Neo Pentecostal ou qualquer outro seguimento, e este Reino é feito de pessoas, e mesmo que eu discordasse, deveria voltar a me congregar, porque o que importava era “Buscar o Reino em primeiro lugar”. Participando daquela “igreja*” eu estaria abençoando as pessoas que são parte do Reino de Deus, e assim sendo um canal de bênçãos. Depois de me arrepender e pedir perdão a Deus, Ele me disse: “Carlos você serve é a mim e não a homens”, e a partir daquele dia continuei a ir “à igreja*”. As vezes, ouço muita abobrinha, vejo muita manipulação, e apesar de algumas vezes ficar um pouco irritado, isto não me tira o desejo de congregar, amo estar no meio do povo de Deus. Mas, infelizmente o que mais vemos hoje em dia, são pessoas que estão buscando desculpas, algumas até na palavra, para viverem uma vida mundana . Há um texto que nos mostra isto; II Timóteo 3:1-9 “Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos, pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios, sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta-te também desses. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; sempre aprendendo, mas nunca podendo chegar ao pleno conhecimento da verdade.E assim como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé. Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesta a sua insensatez, como também o foi a daqueles.“ Uma triste realidade, infelizmente estão por ai enganados e enganando a outros incautos que não se posicionam na palavra, e que permanecem em cima do muro. A você que um dia se aborreceu com o sistema ou com a “igreja*” ou algum pastor, quero dizer que quem deu a vida por você foi Jesus, e que este mesmo Jesus disse que: “Quem quisesse vir após ele deveria negar-se a si mesmo, tomar a sua cruz e segui-lo”, aqui neste texto não fala nada de igreja ou pastor, mas fala de Jesus. Eu depois que tive o entendimento aberto sobre isto faço com Paulo, “Mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante eu prossigo para o alvo pelo prêmio da soberana vocação celestial de Deus em Cristo Jesus.”

*Caso você queira saber o porque destes asteriscos perto da palavra igreja, leia neste site um artigo de nome “Cartilha Neo testamentária” e você entenderá.

Fiquem na paz.

Pr. Carlos

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Sua Comunidade


Você já parou para dar uma olhada no que esta acontecendo na sua comunidade ? Bem, Agora você terá a chance de se inteirar disto.

Em eventos como “adote uma árvore” e “dia da limpeza“, você saberá como você pode colaborar para tornar a nossa comunidade um melhor lugar para se viver e adorar a Deus cuidando do planeta.

Jesus disse que nós deveriamos ir primeiramente nas nossas cidades e então a partir dai expandir sua influência e poder catalisador.

Como poderiamos ser uma Igreja Urbana sem nos envolver em problemas da comunidade e nunca obedecer o comando de Jesus  com o IDE e alcançar primeiramente sua comunidade e sua cidade.

Procure se interar e se integar em algum projeto da Igreja Urbana, ainda estamos bem no inicio mas temos muito trabalho a fazer.

Volte sempre ao site para se atualizar sobre os acontecimentos, fique na paz.

Existem várias formas pelas quais você pode se envolver e fazer diferença em sua comunidade. Brevemente disponibilizaremos um lista de organizações parceiras que lhe darão várias idéia de como você pode contribuir.

Pelo Mundo afora.

Estamos fazendo contato com um ministério localizado em San Diego, California, para sermos parceiros e de alguma forma poder ser parte desta igreja urbana nos Estados Unidos.

Primeiramente estaremos focados na nossa comunidade, mas existe uma segunda parte no versiculo de Atos 1:8  diz que deveriamos ir também até os confins da terra.

Isto será possivel através de sua contribuição voluntária e algumas viagens missionárias que pretendemos fazer, e quem sabe um dia poderemos ir à San Diego e conhecer nossa Igreja Irmã. Para tanto fique de olho no calendário de eventos.

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Buscai primeiro o reino


mas os cuidados do mundo, a sedução das riquezas e a cobiça doutras coisas (casa, conforto,conta bancaria gorda), entrando, sufocam a palavra, e ela fica infrutífera.”Marcos 4:19

Tenho visto uma leva de pessoas se matando de trabalhar, trabalham de dia, trabalham de noite… Não tiram um tempo de descanso, de lazer e a cada dia que se passa isto se torna mais e mais fora de controle. Hoje se trabalha dia e noite porque temos muitas contas, a empresa esta pequena e não pode enjeitar serviço, amanhã se trabalha dia e noite porque a empresa é grande e os gastos são grandes e não podemos deixar a peteca cair. Há ainda aquele que usam a Bíblia como pretexto, tessalonicenses 2:09b, “para não ser pesado a ninguém” . Irmãos, nestes últimos tempos temos visto um festivais de coisas enganosas a nos rodear, muitas vezes somos impelidos a vender uma imagem, uma imagem de aceitação, uma imagem de sucesso. A palavra de Deus nos da a formula do sucesso, e esta formula esta intimamente ligada ao propósito de Deus para sua vida, do contrario você trabalhará por dinheiro, por algo que a traça e a ferrugem consome e pode ser facilmente roubado e te infligir muitas dores.

Mateus 6:33 nos dá a dica,”buscai primeiro o reino de Deus e sua justiça e as demais coisas serão acrescentadas”, Infelizmente temos invertido a ordem das coisas, crendo que a ordem do fatores não alteram o produto, mas neste contexto da palavra de Deus altera sim e muito, faz com que percamos o foco do projeto de Deus para nossas vidas e nos faz viver como zumbis, mortos vivos que buscam se satisfazer ou satisfazer a carne e a vaidade com algo concreto. Interessante como vemos hoje em dia filmes e músicas sendo usados para pregar valores do reino de Deus. Ainda nos States eu assisti a um filme de nome “CLICK” e no filme mostrava um cara que vivia em busca do sucesso, e nunca tinha tempo para a família e com o passar dos anos e sempre pulando “as partes chatas” da vida ele se viu só, perdeu a esposa, os pais, estava perdendo o que ele mais amava, e no final do filme ele diz: “Family First” ou “A família em primeiro lugar”, ainda que tivesse sido um sonho ruim, ele aprendeu da forma dolorosa o valor da família. Uma música de um cantor brasileiro que eu gosto muito é “Vamos dançar”, e ele diz assim:

“Eu não nasci pra trabalho
Eu não nasci pra sofrer
Eu percebi que a vida
É muito mais que vencer

Já dirigi automóveis
Já consumi capital
Já decidi que o dinheiro
Não vai pagar, não vai pagar a minha paz

Vamos dançar lá na rua
Vamos dançar pra valer
Vamos dançar enquanto é tempo”

Ed Motta

Ele diz que ele não tinha nascido para trabalho no sentido pejorativo, ele não tinha nascido para sofrer e ele tomou uma resolução de que viver é muito mais que vencer, e que trabalho ou se matar de trabalhar não traz felicidade, que o dinheiro não compra a paz e que deveríamos sair às ruas e dançar para valer, que deveríamos nos aplicar a viver enquanto é tempo. Mas porque nos que dizemos amar ao Senhor ainda insistimos em viver atrás do dinheiro? Ainda corremos atrás de vender uma imagem de sucesso? Afinal o que é sucesso ?  Até quando isto vai perdurar? Precisamos colocar limites e rever nossas prioridades, pois Limites além de nos restringir eles nos conectam a um novo nível.

Pr. Carlos.

Comments Off on Buscai primeiro o reino

Filed under Uncategorized

SINDRÔME DE JUDAS


 

 

Estava pensando em escrever sobre algo que eu intitulei como Síndrome de Judas e isto, ou este tema, tem tudo a ver com a função da igreja na sociedade, falo da igreja como instituição, pois a Ekklesia, vai bem obrigado!Mas falar da função da igreja na sociedade ficou um tema muito complexo, visto ao avanço do mundanismo e outras pragas que assolam o meio evangélico.

Nasci num lar cristão, Batista tradicional e desde cedo aprendi que a igreja é o corpo místico de Cristo na terra, uma agência dos Céus para proclamar as boas novas, que são boas e novas, do evangelho, sendo assim um veículo de comunicação, “a boca de Deus” aqui na terra, devidamente preparada para cumprir o Ide de Jesus Cristo. (Mateus 28:19.20).

Conheci minha esposa em uma igreja que não era da mesma denominação a qual fora criado, para dizer a verdade, uma denominação neo-pentencostal. Ai fui exposto a muitas coisas boas e coisas não tão boas assim. Com o passar dos anos de namoro, aliás, mais do que tínhamos planejado, iam surgindo as divergências de opinião e interpretação da palavra de Deus por parte de alguns familiares dela e alguns que estavam sempre por perto. Participei de vários eventos nesta igreja, foi um tempo de aprendizado, um tempo de novidade, algo que nunca tinha visto na igreja a qual era parte, literalmente. Houve uma vez que uns “irmãos” foram ensinar a se gemer no espírito, não me perguntem o que venha a ser isto, pois o que a palavra diz sobre isto, é que o Espírito Santo intercede por nós sobremaneira com gemidos inexprimíveis, mas no tal estudo nós é que deveríamos gemer no espírito. Claro que passei o tempo todo do tal estudo conferindo os textos que me eram apresentados a ponto de chamar a atenção de um dos “ministrantes” por não estar comprando a idéia deles, na verdade não estava engulindo o tal estudo.

Para nós que já somos cristãos há muito tempo o final dos anos 80 e princípio dos anos 90 foi um período de surgimento de muitos movimentos no meio cristão, muitas coisas nocivas, por sinal. Uma destas coisas nocivas foi a Teologia da prosperidade ou “capetologia da prosperidade” ou síndrome de Judas. Síndrome de Judas é a inabilidade de se entender e receber o Reino de Deus. Para os que conhecem a história do povo de Israel, sabe muito bem a posição geográfica em que se encontram e como Israel foi atacada por diversos povos, tanto os do Sul quando queriam subir e atacar o povo do Norte ou vice-versa. Por esta razão umas das coisas que o povo Judeu mais queria era um líder, um rei, alguém com coragem e autoridade suficiente para tirar, derrubar o opressor. Neste cenário cruel e de opressão apareceu Jesus. Para começar o problema acerca de Jesus, os magos que foram visitá-lo após o nascimento, procuravam por um rei que estava por nascer, e isto já foi o suficiente para o rei Herodes mandar matar os recém nascidos da época. Jesus chegou anunciando o reino, Jesus apareceu mostrando a forma de viver no reino, muitos dos que seguiam a Jesus, a princípio eles não tinham entendido este reino e muito menos este reinado. Fato é que passados quase 03 anos alguns dos que com ele andava ainda não tinham captado a essência do reino ou a transcendência do reino. Judas foi um destes, aliás, o único que a Bíblia diz que se perdeu. Às vezes fico viajando na minha mente e pensando sobre o desespero de Judas toda vez que Jesus mencionava o reino. Imagino a agonia de Judas quando ele dizia frases tais como esta no evangelho de João 18:36, “O meu Reino não é deste mundo”…. Imagino que Judas entrava em “parafuso”, tipo, “o que ele esta querendo dizer com isto?” Você já parou para pensar sobre isto? Judas deveria entrar em desespero, pois o que seria o libertador, como de fato ele o era, aquele que iria tirar Israel da mão da tirania de Roma estava dizendo que o reino dele não era deste mundo. Quando eu era criança lá em Belo Horizonte, na igreja Batista de Vista Alegre era muito bom! Íamos à escola dominical, diferente da “escola do mingau” de hoje em dia, tínhamos momentos de louvor onde catávamos hinos do Cantor Cristão, cada um mais bonito do que o outro e se cantava muito sobre o porvir, as mansões celestiais, aquelas mesmas que Jesus prometeu, Os hinos eram todos voltados para o Reino de Deus. Éramos lembrados do “Castelo Forte” que era nosso Deus e tínhamos a esperança da vida eterna, ainda que algo totalmente abstrato, mas era algo um bom, um sentimento gostoso de saber que havia algo mais, um porvir, “nome bom, doce a fé a esperança no porvir”. Tristemente nos nossos dias não se houve mais este tipo de música, o livro de Apocalipse que originalmente era um livro para nos dar esperança virou livro de terror para nos manipular e nos encher de medo. Será que estamos perdendo a essência do Evangelho? Será que como Judas Iscariotes não estamos conseguindo captar a transcendência do Reino? Infelizmente sim! Estamos sendo consumidos pelo “capetalismo”, estamos perdendo nossas referências, nossos valores. Umas das coisas mais tristes que se vê aqui na Flórida é o distanciamento de Deus. Estamos sendo engolidos pelo consumismo, humanismo e pelo hedonismo, o mais interessante que há um tempo uma querida irmã estava conversando comigo e eu tentava explicar para ela a influência da filosofia na vida das pessoas, mas ela é daquelas que preferem culpar o diabo por tudo, não que não seja ele, mas estas filosofias ou formas de viver têm levado as pessoas a um afastamento de Deus, uma inversão de valores… O que importa é o aqui e agora. Com certeza Deus quer nos ver próspero, no sentido real da palavra, não desta forma deturpada que a capetologia da prosperidade pinta por ai. Temos que voltar ao primeiro amor, temos que retornar à palavra, temos que ter o Reino de Deus como nossa bandeira, nosso alvo. Existe um paraíso, um reino, um céu para se buscar e temos que fugir deste materialismo em nome de Deus que nos é apregoado nas igrejas atuais. (Mateus 6:33).

Poucos conseguem entender este reino, o por vir, o de fato mundo ideal. Hoje o porvir deu lugar a uma busca selvagem do ter, como dizia Gil Gomes, “Aqui, Agora”, acarretando com isto mentiras e ostentação de uns que tinham ou transparecia ter mais favores de Deus devido ao paganismo cristão de jejuar, orar mais, santificar, não que estas sejam práticas errôneas, mas não podem de forma nenhuma ser usadas com a intenção de se obter um favor especial de Deus.

Que venha o reino!

Carlos Rizzon


 

Leave a comment

Filed under Uncategorized

É PROIBIDO PENSAR


Procuro alguém pra resolver meu problema
Pois não consigo me encaixar nesse esquema
São sempre variações do mesmo tema
Meras repetições.

A extravagância vem de todos os lados
E faz chover profetas apaixonados
Morrendo em pé, rompendo a fé dos cansados
que ouvem suas canções.

Estar de bem com a vida é muito mais que renascer
Deus já me deu sua Palavra
e é por ela que ainda guio o meu viver.

Reconstruindo o que Jesus derrubou
Recosturando o véu que a cruz já rasgou
Ressucitando a lei, pisando na graça, negociando com Deus.

No show da fé milagre é tão natural
Que até pregar com a mesma voz é normal
Nesse evangeliquês universal
Se apossando dos céus

Estão distante do trono, caçadores de Deus ao som de um shofar
E mais um ídolo importado dita as regras para nos escravizar:
É proibido pensar! É proibido pensar!

Letra de uma música de João Alexandre e retrata a imagem caótica que vive a “igreja” Brasileira.
Que Deus tenha misericórdia e nos dê graça.

Posted by Carlosrzz at 23:35 0 comments

1 Comment

Filed under Uncategorized