Dez Avisos para Aqueles que Enveredam Nos Caminhos de uma Igreja Missional (Parte 1)


Depois de um tempo tentando resolver com o servidor sobre o nosso dominio http://www.igrejaurbana.org sem sucesso, resolvemos reativar este blog que contém as mesmas informações e outras sobre o nosso ministério, boa leitura!

Nestes dois próximos domingos estaremos refletindo sobre a questão de pertencer a uma igreja de visão missional. Há alguns alertas que esta opção produz, pois somos parte de um movimento que acredita em uma igreja livre e dinâmica que acolhe pessoas por amor a Jesus. Nosso objetivo é amar e acolher como Ele fez. Reflita:

1) Não podemos esperar entrar na igreja para um culto de quase 2 horas, receber o que estamos precisando e ir embora aguardando o próximo domingo.

Devemos esperar, ao contrário, uma missão que possa mudar a nossa vida, uma experiência mais rica do que jamais experimentamos em termos de completude e realização pessoal: um relacionamento pessoal com o Salvador.

2) Não podemos esperar que Jesus vá se adaptar aos nossos desejos e caprichos consumistas desta era capitalista, com uma agenda estressante sem tempo para as questões do Reino (comumente apreendidas antes de chegar para a igreja).

Devemos esperar, ao contrário, nos ver livres de muitos maus hábitos e estilos de vida que achávamos importantes antes de conhecer a Cristo, uma expectativa muito salutar de uma mudança de hábitos e comportamentos de uma forma geral.

3) Não podemos esperar estar anônimos, desconhecidos, ou mesmo desaparecidos na igreja (ou após os trabalhos).

Devemos esperar, ao contrário, ser conhecidos, amados, respeitados e queridos pela Comunidade da Fé em nossa gloriosa jornada juntos aqui na terra.

4) Não podemos esperar que tudo seja perfeito e sem erros na igreja local, seus líderes e seus trabalhos.

Devemos esperar, ao contrário, uma experiência orgânica, simples, envolvente e autêntica em todas as reuniões e eventos.

5) Não podemos esperar programas que produzem entretenimento para crianças, jovens e adolescentes sem um envolvimento intenso e presente dos pais, adultos e tutores.

Devemos esperar, ao contrário, à medida que a vida progride e envelhecemos juntos (jovens e adultos), que nossos mais novos aprendam conosco a ter um relacionamento autêntico e intimo com o Senhor Jesus que eles levarão consigo para o resto da vida.

Meus queridos, não esperem que a igreja tenha a obrigação de ir até vocês ou que as pessoas os atendam em suas necessidades ou caprichos. O cristão tem um chamado ao serviço que é a dedicação intencional de servir ao próximo amando a Deus de todo o nosso coração.

Se fizermos isso, garantiremos o tipo de igreja e estilo de vida que agradam a Deus e abençoam nossas vidas e aos outros que estão ao nosso redor.

Hoje terminamos nossa reflexão sobre a questão de pertencer a uma igreja de visão missional. Há alguns alertas que esta opção produz, pois somos parte de um movimento que acredita em uma igreja livre e dinâmica que acolhe pessoas por amor a Jesus. Nosso objetivo é amar e acolher como Ele fez. Reflita:

6) Não podemos esperar que nos sintamos sempre bem e que as pregações e ensinos venham somente para satisfazer nossos desejos, sem nunca nos confrontarem.

Devemos esperar, ao contrário, que haverá momentos de confronto, desafio (do nosso talento, tempo e dinheiro), lamento e choro, auto-exame e algumas vezes silêncio profundo para reflexões e mudanças.

7) Não podemos esperar que as pessoas venham ao nosso encontro para nos atender em nossas necessidades pessoais e familiares como se fôssemos os únicos neste corpo dinâmico e rico de Jesus.

Devemos esperar, ao contrário, um apoio e sustento na hora de necessidade para a jornada, quando cada um carrega seu fardo e todos dividem a carga comum.

8) Não podemos esperar crescimento e maturidade com rapidez, nem no aspecto pessoal, muito menos coletivo. Não dá para criarmos uma expectativa de crescimento além daquilo que Deus espera de nós.

Devemos esperar, ao contrário, um crescimento eficaz que envolva outras pessoas num relacionamento visceral e fraterno, que sempre acontece de forma orgânica, portanto lenta, para o bem do todo.

9) Não podemos esperar que as coisas aconteçam do nosso jeito e da nossa forma de pensar. Nem tudo acontece dentro das quatro paredes da igreja, e nem tudo é como gostaríamos que fosse.

Devemos esperar, ao contrário, que nossos encontros sejam edificantes e que haja de nossa parte uma compreensão de que as diferenças é que promovem a beleza da diversidade do o povo de Deus espalhado pela terra. Tolerância é algo que devemos cultivar e aplicar em nossos relacionamentos.

10) Não podemos esperar que haja divisões, fofocas, contendas, sobre as coisas relativas a igreja ou nossa vida pessoal, até mesmo sobre questões teológicas ou argumentos éticos.

Devemos esperar, ao contrário, que as opiniões são muito bem recebidas, que as idéias são bem vindas, que mudanças são apreciadas, que a visão do outro contribua, na medida em que tudo é feito dentro do âmbito do amor e respeito ao próximo e a liderança estabelecida na comunidade (essa estabelecida por Deus), ressaltando sempre a centralidade das Escrituras que apresenta o Cristo de nossa salvação.

Se vivermos assim, garantiremos o tipo de igreja e estilo de vida que agradam a Deus e abençoam nossas vidas e aos outros que estão ao nosso redor.

Rev. Robson Gomes,

Adaptado de David Fitch


Advertisements

Leave a comment

Filed under Artigos

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s